Skip BreadcrumbHome / Fiscalidade / Garantias de bens prorrogadas até 30 de junho

Particulares

Garantias de bens prorrogadas até 30 de junho


Foram prorrogados até 30 de junho os prazos para o exercício de direitos relativos a garantias de bens que tenham terminado entre os dias 18 de março e 31 de maio de 2020.
 
A situação excecional de prevenção, contenção, mitigação e tratamento da infeção epidemiológica por SARS-CoV-2 e da doença COVID-19 passou, de entre outras medidas, pelo encerramento de vários estabelecimentos e pela suspensão de muitas atividades de comércio a retalho e de prestação de serviços.

Por isso, terminaram vários prazos para os consumidores poderem exercer os seus direitos resultantes da garantia de conformidade dos bens com o respetivo contrato de compra e venda que terminaram durante a vigência do estado de emergência. Ora, nesse período de encerramento de suspensão de atividades económicas, os consumidores não puderam efetivar tais direitos, designadamente no que respeita à reparação ou à substituição dos bens com defeito.

Assim, o Governo prorrogou os prazos para o exercício de direitos em caso de falta de conformidade dos bens de consumo face ao contratado, permitindo-se, assim, que os direitos dos consumidores, resultantes da garantia, que não puderam ser praticados durante o período em que os estabelecimentos se encontraram encerrados, possam ser exercidos até 30 de junho de 2020.

O mesmo diploma revoga também a norma que determinou a suspensão da obrigação de disponibilização do Livro de Reclamações em formato físico, voltando a ser obrigatório facultá-lo aos consumidores sempre que seja solicitado.

 

  

Informação da responsabilidade de LexPoint
© Todos os direitos reservados à LexPoint, Lda
Este texto é meramente informativo e não constitui nem dispensa a consulta ou apoio de profissionais especializados.

 

 

05.06.2020