Skip BreadcrumbHome / Fiscalidade / 10 milhões de euros para projetos na área do Turismo

Empresas

10 milhões de euros para projetos na área do Turismo

Estão abertas até 8 janeiro 2021 as candidaturas à 3.ª edição da Call Tourism, que conta com 10 milhões de euros para investimento em projetos tecnológicos e não tecnológicos na área do Turismo, com base em capital de risco.

A iniciativa foi lançada dia 30 de setembro pela Portugal Ventures, em parceria com o Turismo de Portugal, com o objetivo de impulsionar a retoma do setor turístico nacional, que viu a sua atividade muito reduzida com a pandemia.

A nova edição da iniciativa Call Tourism vai identificar oportunidades de investimento em projetos que contribuam para a competitividade da oferta turística do país, que melhorem a experiência do turista em Portugal ou que promovam a eficiência das empresas do setor.

Em regra, os projetos tecnológicos devem ter como objetivo a sua expansão internacional. Os projetos não tecnológicos, que podem ser de âmbito regional, devem ter como objetivo também a atração de turistas internacionais.

No próximo dia 21 de outubro, realiza-se um webinar para esclarecimento de dúvidas relacionadas com o processo de candidatura à Call. Se quiser participar deve inscrever-se primeiro. Aceda aqui.

A Portugal Ventures integra o Setor Empresarial do Estado e é responsável pelo investimento público de capital de risco de tipo Venture Capital; é uma sociedade gestora cuja atividade é regulada e supervisionada pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

As Calls da Portugal Ventures têm como objetivo o investimento num projeto, com entrada de um investidor na estrutura acionista da empresa. A participação da Portugal Ventures no capital social de uma empresa apoiada varia consoante o resultado da negociação e em função do montante investido e valorização acordada para a empresa.

Requisitos para as empresas

As empresas candidatas têm de estar localizadas em Portugal (continental e ilhas) e:

  • apresentar uma equipa multidisciplinar que assegure as necessidades de gestão do projeto;
  • estar em fase Startup, Early Stage ou Growth, que tenham até ao momento do investimento menos de sete exercícios completos, desde a data de início de atividade;
  • não podem ser consideradas «empresas em dificuldade», nos termos das regras europeias, o que inclui operações de consolidação, mas exclui operações de reestruturação;
  • cumprir as condições legais necessárias ao exercício da atividade, nomeadamente estarem licenciadas para o efeito, assim como regularizadas em matéria de registo no Registo Nacional do Turismo;
  • ter contabilidade organizada, situação económico-financeira equilibrada e a situação regularizada perante a Administração Fiscal e a Segurança Social.

Projetos elegíveis

São elegíveis projetos que contribuam para os benefícios associados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), apresentando soluções que promovam:

  • a desmaterialização de processos e serviços (por exemplo: appkey em vez de chave-cartão, copos de vidro, dispensadores de amenities em vez de monodoses);
  • a reciclagem, reutilização e redução de resíduos (recicláveis e bio resíduos),
  • a integração de energias limpas (por exemplo, painéis solares);
  • a eficiência energética (ao nível dos equipamentos, dos processos e dos materiais, como a redução de perdas de calor, equipamentos eficientes);
  • a eficiência hídrica (sistemas de redução/gestão eficiente de caudais, aproveitamento de águas, circuitos integrados ou circulares de águas);
  • a mobilidade Inteligente (parcerias com agentes locais, disponibilização de equipamentos ecofriendly e mobilidade suave).

Candidaturas

As candidaturas são apresentadas através do site da Portugal Ventures.

Os formulários são preenchidos em inglês, salvo da Call Azores e Call Tourism Non-Tech, que são em português. O preenchimento em inglês torna mais fácil divulgar um projeto nas sessões de apresentação aos painéis de avaliação, compostos por peritos nacionais e internacionais.

Os projetos com investimento da Portugal Ventures têm de ter uma orientação para o mercado global, o que implica que os promotores devem ter a capacidade de vender os projetos e respetivos produtos/soluções a potenciais clientes, parceiros e/ou investidores de outras nacionalidades.

 

 

Informação da responsabilidade de LexPoint
© Todos os direitos reservados à LexPoint, Lda
Este texto é meramente informativo e não constitui nem dispensa a consulta ou apoio de profissionais especializados.

 

 

06.10.2020